domingo, 19 de dezembro de 2010

Tragédia Romântica



Pra não me lembrar que existe algo a mais, esqueci quem sou, esqueci minhas dores, meus sonhos, meus amores. Deixei pra trás os projetos nas gavetas. Eu me fechei, me tranquei no quarto e esperei essa tal de cura pelo esquecimento. Pelo escurecimento. Memórias não tenho.


Pra não lembrar que existe algo profundo, parei de ver filmes com histórias de amor, e de me cobrar finais felizes. Parei de acompanhar novela das oito, das sete, das seis, das quatro. E só não larguei os livros, porque era fácil virar a página. 


Pra não lembrar que existe algo antigo pulsando, com cheiro de contos-de-fadas, tão mofados, numa espécie de infância da alma, varri pra debaixo do tapete as farpas das flechas, os estilhaços do espelho, meus cacos em mosaico. Falhas, fatos, farrapos. Esqueci os detalhes, apaguei os vestígios. Guardei todos os mortos no fundo do armário.


Matei meus amores, minhas mágoas, meus votos. Pedi o divórcio e acabou.
Enterrei meu coração e escrevi um epitáfio:


Aqui jaz quem nunca soube - e por isso nunca esqueceu - o que era o amor.



                                      Isa Blue.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

O caminho da pedra







On The Rocks




Esse não é o tipo de pedra
que se vê com um olhar
olhe mais de perto
pode ser jabuti
ovo de passarinho
cocô de bicho
ou um ponto
no meio da frase.
Esse é o tipo de pedra
pra se cheirar
pegar na mão
dixavar atrás de semente
grão de areia que diga
quantos anos tem a pedra
levar à boca
ver se derrete.
Esse é o tipo de pedra
que emerge do caminho
apontando os meios
e as meias sujas de terra
o mundo mexe com ela
o mundo muda e ela
muda
se quebra se cresce
e vira parte de tudo
como tudo que morre
e se comove
como tudo que vive.
Essa pedra que é só uma pedra
que sonha
poderia ser eu ou você
se a evolução quisesse
se a gente soubesse
se evoluir apra pedra
até não saber mais
o que
onde
e todas as perguntas irritantes
que as pedras não se fazem
elas mudam
mudas
e jazem.






Blue, a colecionadora de pedras.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Sobre Janelas E Coisas Que Servem Pra Gente Suspirar...



No Cabaré da Poesia - CATETE
(Evento produzido por Cairo e Denizis Trindade. Gravado por Daniel Trindade.)